Categoria: Música

Música faz parte da minha vida. Comecei a tocar violão em 97-98, com uns 16 anos. Ganhei num natal, depois de ficar babando nos instrumentos dos vizinhos. Eles tinham guitarras, bateria, baixo e tudo mais. E para chegar até eles, precisava aprender a tocar violão.

O velho Giannini continua na ativa. 20 anos depois estou começando a ficar bom nisso. Sempre tive a voz grossa como a de Renato Russo. Por isso sempre gostei de cantar, pois me identifico com a temática e o universo da Legião Urbana. Sou um ótimo fã, tanto que canto bem parecido com o meu grande ídolo.

Aprendi na marra, sem aulas práticas e aprendi, por meio de revistas de cifras adquiridas nas bancas de jornais ( coisas dos anos 80-90) e sempre vinham as cifras das músicas mais famosas. Como gostava de cantar, comprava sempre as de rock nacional, o que me fez um grande fã do gênero.

Legião Urbana, Capital Inicial, Raul Seixas, Plebe Rudo, Ira!, Charlie Brown Junior, Rumbora, Barão Vermelho, Cazuza, Cássia Eller, Ufa, são muitos. Vou tentar representar todos. Prometo. Uni a tantas bandas boas as poucas músicas em fitas e LPs que tinhamos em casa: Elvis, Beatles, Caetano, Gil, Adoniran Barbosa, Leandro e Leonardo, Chitãozinho e Xororó, Roberto Carlos, Erasmo… Sim, herança cultural passada de avós, pai, mãe, tios.

Meu tio Roberto tocava violão.

Era legal vê-lo tocando, ensaiando na varanda da casa de minha avó, sempre com sua cara vermelha de pinga e dizendo: se você quer ser famoso e ganhar dinheiro com música tem que tocar o que o povo quer ouvir.

Certa vez ele me mostrou uma música gospel. Torci o nariz. Anos depois chorava ao ouvir Elvis em sua época gospel. A ficha cai, de repente é isso. Deus o tenha em um bom lugar meu tio. #tamojunto

Pra isso que toco. Pra fazer ressoar as letras que amo, dentro de minhas limitações mas com muito carinho, emoção e amor.  Espero que gostem