Como lidar com fake news e compartilhamento de mensagens?

Fake news é comum entre jornalistas e fofoqueiras

Fake News é o famoso Boato, no bom português. Mas como ele pode nos atingir como um tacape se for usado de forma cuidadosa e criminosa.

As hoje já conhecidas fake news estão em alta nos últimos dias. Depois do facebook lançar um serviço que vai dizer se é fato, verdade, mentira ou apenas Meme, estamos discutindo isso pelas redes sociais.

Primeiro, surge a disputa do eles x nós. O bem x mal. A esquerda x direita. Mas nunca sobe a questão principal: o que está sendo noticiado, tem real valor?

Qual o valor de uma notícia?

As notícias deveriam ser voltadas a informação, repassando fatos e não criando verdades. Sem a opinião explicita sobre determinado fato. Mas o jornalismo e as fofoqueiras em geral não ligam pra isso. Querem sempre saber do que é que  podem ficar falando mau o dia todo.

A repercussão, os likes, os cliques em anúncios e o prisma em que se enquadra a notícia nunca está ligado as 3 peneiras sobre as conversas.  O que vão falar é mais importante do que o assunto.

Realmente, a banana está comendo o rabo do macaco

Não polua a internet com boatos

Boatos são tão feios quanto sujar o Mar

Muitos boatos tem ganho uma força maior. Com a chegada da internet a maior número de pessoas, as chamadas Fake News são divulgadas muito facilmente. E a navegação entre tanto lixo é complicada para todos.

É como tentar enfrentar um enxame de abelhas com uma vara, mas vale a pena verificar alguns sites antes de passar a frente alguma notícia.1515

Já pensou se continuarmos nesse caminho? Politicos podem ser destruídos, reputação de pessoas podem ser abaladas e muita gente pode sair ferida com a propagação de falsas notícias. Então siga algumas dicas e não passe pra frente mentiras e boatos:

  1. Pesquise no Google: Uma simples busca pela palavra chave já pode levar a duas coisas: A primeira pode ser uma noticias que lhe informe melhor em um grande jornal ou mesmo um blog de confiança. Segundo pode mostrar na cara se está em sites de boatos que confirmam ou repudiam a notícia.
  2. Verifique a data da postagem se possível.
  3. Veja se quem escreveu não é um gozador da internet como o

GERAR TERROR NÃO É LEGAL.

Já recebi inúmeras vezes o vídeo do assessor parlamentar marcando presença na Europa como se fosse no Brasil, vídeos de brigas de crianças na porta de escola de 2010 e ainda manifestações que foram em 2012 sendo ditas como da semana passada.

Por favor, ajude a não propagar lixo nas redes. Não jogue lixo nos mares nem nas ondas da internet! Boatos não são legais.